A Agulha do Desejo (crônicas)
Clotilde Tavares
Natal, Engenho de Arte, 2003. 202 p.
R$ 20,00

Depois de seis anos escrevendo aos domingos na Tribuna do Norte, a escritora Clotilde Tavares reúne uma seleção de suas crônicas para publicá-las em livro, tendo como título "A Agulha do Desejo", que também dá nome a uma das crônicas.

Escrevendo sobre temas do cotidiano, Clotilde brinca, diverte, esclarece e critica. Atenta ao que se passa na cidade, fala sobre temas tão diversos como a preservação da cultura popular e a qualidade do atendimento nas lojas, sem esquecer de registrar passagens da história cultural recente da cidade, da qual vem participando ao longo de mais de três décadas.

Ao longos dos seis anos de colaboração no jornal Tribuna do Norte, já são quase trezentas crônicas e artigos. O livro mostra setenta e cinco delas, em um volume de 202 páginas, com ilustrações de Flávio Freitas. "Escolhi aquelas que o leitor gostou mais", explica a escritora. "Telefonemas e e-mails me diziam que naquele domingo, eu tinha conseguido agradar ao público. Esse foi o meu critério. Afinal, esse livro é dedicado exatamente a ele: o meu caro leitor, companheiro fiel de todos os domingos", conclui.

Clotilde Tavares é escritora, dramaturga, atriz e estudiosa da cultura popular. Formada em Medicina pela UFRN em 1975, dedicou-se inicialmente aos estudos e pesquisas em Nutrição e Saúde Pública, área na qual fez mestrado. A partir de 1990, atendendo a irresistível apelo vocacional, passou a dedicar-se somente à Literatura, ao Teatro e à Cultura Popular. Tem vários livros publicados, além de ser colaboradora constante de jornais e sites na Internet. É na rede mundial de computadores que mantém uma atividade às vezes frenética, produzindo boletins e mantendo no ar sites de temática cultural e informativa. Tudo está reunido em um verdadeiro "labirinto de idéias", que pode ser acessado no endereço www.clotildetavares.com.br. Para viabilizar seus livros, a escritora criou uma editora a "Engenho de Arte", empresa que também atua produzindo eventos, cursos e palestras nas áreas de teatro, literatura, qualidade de vida e cultura popular.

"Escrever é gostoso, mas é difícil fazer um livro", revela a escritora.  "A busca pelo patrocínio é árdua e cansativa, e é preciso ter pique para não perder o estímulo. Ouço muito a palavra 'não', mas isso faz parte. E enquanto não ouço o 'sim' que viabiliza o negócio, não desisto", finaliza. As empresas que entraram em parceria com Clotilde Tavares para a realização do livro foram o Hotel Vila do Mar, a Prontoclínica de Olhos e Impressão Gráfica.

Para o próximo ano, Clotilde promete mais dois livros. Um deles é sobre a viagem que fez ao sertão do Rio Grande do Norte em 1999, refazendo o trajeto de Câmara Cascudo em "Viajando o Sertão". O outro é dedicado a Campina Grande, cidade onde nasceu, e onde pretende, em 2004, comemorar seus quarenta anos de atividade como escritora.

VOLTAR

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
APOIO CULTURAL